top of page

Do céu o inferno: Adriel que era solução, virou problema e está de saída do Grêmio

O goleiro Adriel vive um inferno astral no Grêmio. Chegou a um nível de instabilidade que clube e jogador negociam a saída dele. A informação é do repórter Leonardo Muller. É incrível porque ele já viveu o céu quando decolou, aos 22 anos, como um foguete de terceiro reserva a titular e campeão gaúcho. Passou à frente de Brenno e Gabriel Grando. Mas uma sucessão de atos de indisciplina, na visão da direção e do técnico Renato Gaúcho, prejudicaram a carreira meteórica do jogador que tem potencial para ser o futuro número 1 da Seleção Brasileira. A primeira vez que vi logo me lembrei de Dida, pela semelhança física, talento e a origem: os dois são baianos. Afinal, o atleta de 1m95 está acima da média de muitos goleiros da sua geração. Agora, está na marca do pênalti, fora do time e com um futuro indefinido. O episódio precisa ser logo esclarecido e resolvido porque todos saíram perdendo: o clube, o time, Renato, a direção, o empresário do jogador, a torcida e, acima de tudo, o jovem promissor.


Entenda o Caso


Adriel virou titular em 2023 após uma avaliação da comissão técnica do Grêmio de que ele era tecnicamente melhor que Brenno e Gabriel Grando, principalmente pelo seu desempenho superior nos treinos. Ele só havia jogado como titular por opção de Renato contra o Brusque no ano passado pela Série B, na última rodada, quando o Grêmio já estava garantido na Série A. Depois de uma sequência de 4 jogos bem executados nesta temporada, assumiu o gol de onde não sairia mais a não ser por lesão, cartões ou algum motivo extra-campo. Tudo ia melhor que o esperado a ponto do clube desistir de contratar um outro goleiro mais experiente. Pegou dois pênaltis na semifinal do Gauchão contra o Ypiranga de Erechim, virou herói. Foi campeão estadual num novo time remodelado pela direção e por Renato que começava com uma revelação no gol e terminava na outra ponta com um dos maiores artilheiros do Mundo: Luis Suarez.

Mas logo o herói virou vilão. Foi antes do jogo contra o Cruzeiro pelo Campeonato Brasileiro em Belo Horizonte. Adriel ficou de fora do time e Gabriel Grando assumiu a titularidade. O Grêmio perdeu por 1 a 0. Poderia ter sido pior não fosse grande atuação do novo titular, pelo menos para aquele jogo. Só que na entrevista coletiva Renato foi muito transparente quando disse. "Aqui tem comando", se referindo a atos de indisciplina do jogador que não havia cumprido com a cartilha e também da interferência do novo empresário que teria dado um carro e uma mansão para o jogador.

Adriel falou alto no telefone na concentração quando o grupo de jogadores e o técnico estavam em reunião de trabalho. Só é permitido contatos por Whatsapp por mensagens de texto, desde que sejam breves numa urgência familiar. Depois, o jogador faltou em um jantar com os jogadores e chegou atrasado. Foi multado. Só que na véspera do jogo contra o Cruzeiro, ele deu uma entrevista para o programa Paredão do Guerrinha da Rádio Gaúcha sem avisar a assessoria de imprensa e ainda revelou alguns segredos de posicionamento da defesa do Grêmio. Foi o estopim para Renato e a direção de futebol decidirem tirá-lo do time.

Confira os Números de Adriel na Temporada 2023. Fonte: ogol.com.br

ADRIEL É OFENDIDO, VAIADO E DÁ UM TAPA NA PORTA DO VESTIÁRIO

O empresário do goleiro é o mesmo de Ferreira, que já havia causado polêmica por dificuldades de acordo com o clube o que depois acabou acontecendo, com o jogador tendo a valorização que esperava e ganhando a camisa 10 do Grêmio. Trata-se de Pablo Bueno. Toda a manifestação de Renato gerou polêmica e reações. Por um lado de que havia exagero por parte do técnico, mas por outro uma sucessão de dramas para o goleiro no dia do jogo contra o ABC pela Copa do Brasil, na Arena. Não por acaso, o Grêmio fez a pior apresentação do ano reconhecida pelo próprio Renato e mesmo que o goleiro não tenha sido o motivo técnico, certamente, abalou o ambiente de um empate por 1 a 1 só no final do jogo. Por sorte, mas foi por pouco que o ABC não fez o segundo gol e haveria uma disputa por pênaltis. Com ou sem Adriel, eliminado ou classificado, haveria algum barulho ainda maior.

O drama maior foi antes do jogo conforme revelou o repórter Matheus D'ávila da Rádio Bandeirantes. O pai de Adriel, reconhecido num vídeo do jogador publicado no dia do goleiro, acabou sendo por torcedores do Grêmio. Um absurdo contra o humilde senhor Aristides. No vídeo, o goleiro diz que é o mesmo cara de Ilhéus na Bahia e que deu entrevista sem querer prejudicar o clube. O tirou saiu pela culatra. Adriel só ficou no banco porque Breno está machucado. Do contrário, nem seria relacionado. Quando foi fazer o trabalho físico com os reservas pós-jogo, torcedores de organizadas, xingaram o jogador, gritavam "Ei, Adriel, vai tomar no c..". O goleiro jogou uma camisa no chão saiu do gramado. Na entrada para o vestiário, deu um tapa forte na porta de metal e o som ecoou na zona mista da Arena. O barulho maior era uma crise sem solução.

Renato não fala mais sobre Adriel. Presidente Alberto Guerra assume o caso. O presidente do Grêmio, Alberto Guerra, em entrevista para o Podcast do Denilson e Chico Garcia revelou que poderia ter previsto que uma relação do Adriel com o empresário Pablo Bueno poderia gerar algum ruído com Renato porque ele já havia manifestado seu descontentamento quando o procurador representava Tetê, uma promessa de craque que nem pode ser aproveitado no profissional indo direto para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, de onde saiu emprestado para o Leicester City.

O presidente lidera uma força tarefa para contornar a crise. Só ele fala sobre o assunto, Renato comunicou na coletiva após o empate com o ABC que o presidente é o único a tratar do caso Adriel. A ideia é encaminhar uma negociação amigável e rentável para o clube. O repórter da Rádio Gaúcha Eduardo Gabardo trouxe que o jogador tem contrato até 2024 e recebe cerca de R$ 50 mil mensais. Para qualquer trabalhador brasileiro é um fortuna. Para um atleta de Série A, ainda mais se ele tem perfil para jogar na Seleção Brasileira. No final, todos os lados foram prejudicados, todos falharam no processo . Os detalhes da negocião vão vir a tona com o tempo. Mas os bastidores muitas vezes são revelados anos depois.

コメント


bottom of page