Inter é candidato ao rebaixamento em 2022



O Internacional terminou o ano de 2021 em decadência técnica. O balanço do ano indica um desempenho negativo dentro de campo. Perdeu o Gauchão para o Grêmio que foi rebaixado para a Serie B, foi eliminado pelo fraco time do Olímpia na Libertadores, eliminado pelo frágil Vitória da Bahia que depois foi eliminado com facilidade pelo Grêmio e terminou o Campeonato Brasileiro a cinco pontos da vaga para a Libertadores, mas também a cinco do rebaixamento.

O Inter tem um time desequilibrado tecnicamente. O melhor zagueiro da temporada nem é do Inter, Bruno Mendez que pertence ao Corinthians. Dos quatro laterais, nenhum é confiável. As maiores referências são Edenilson, Taison e Yuri Alberto, mas mesmo assim também apresentam uma irregularidade, devido às companhias de qualidade limitada. Jogadores como Dourado, Patrick, Lomba, Cuesta e Lindoso chegaram ao limite com uma entrega insuficiente.

A receita do ex-coordenador técnico Paulo Paixão num áudio vazado faz sentido. Muitos jogadores podem ser bem aproveitados por outros clubes em troca-troca.

O problema é que a estrutura de futebol desde o presidente, o vice de futebol Emilio Papaleo Zin, o executivo Paulo Bracks, fracassou na temporada e não demonstrou que terá condiçōes nem habilidade para executar o processo de transformação que o Inter necessita. A primeira mudança urgente é definir o futuro técnico para 2022. É um erro começar a renovar com jogadores e contratar outros com base num relatório executado junto com o técnico Diego Aguirre. Antes disso, é preciso liberar o tecnico uruguaio para treinar a seleção uruguaia. Mesmo que ele não seja o substituto de Oscar Tavarez, não pode continuar. Aguirre decepcionou no Inter. Depois de Abel Braga quase ser campeão brasileiro de 2020, a posição e o desempenho do Inter em 2021 foi bem abaixo no Brasileiro. Um time caseiro, lento e sem criatividade. O desafio é convencer um técnico de qualidade para fazer esta transformação no Inter. Quem garante que ao primeiro tropeço, ele não será demitido como foi Miguel Angel Ramirez? Uma derrota no Gauchão deixará qualquer técnico na corda bamba. Tudo porque falta coerência e convicção no futebol Colorado.

Hoje, o Inter é candidato ao rebaixamento de 2022 e pode perder o Gauchão para o Grêmio e para o Juventude. Poucas chances de ganhar a Sul-americana e nenhuma na Copa do Brasil. PrecIsa mudar logo para dar tempo de corrigir até o final do Gauchão. Mas não acredito que saberá fazer as mudanças necessárias. O próprio Edenilson disse no prêmio bola de Prata da ESPN que o ano poderia ter sido pior.