Inter comprova que, às vezes, é preciso ter gana para ganhar

Técnico do Inter, Miguel A. Ramirez, reforçou a liderança de Taison após a vitória sobre o Olímpia. Foto: Ricardo Diuarte/SC Internacional

O Internacional venceu o Olimpia no Paraguai por 1 a 0 como deveria ter vencido. Encaminhou a classificação para as oitavas de final até mesmo como melhor do Grupo B da Libetadores. Não era um jogo para ser somente eficiente na tática, na técnica e no preparo físico. O aspecto mental era fundamental, coisa que muitas vezes tem atrapalhado o time, seja agora com Miguel Angel Ramirez como técnico ou mesmo antes com Abel, Coudet, Odair e cia. "Era o jogo da nossa vida", disse Moisés, que foi eleito o melhor em campo pela Conmebol.

Gana é uma expressão muito utilizada na língua espanhola, mais precisamente na América do Sul e na Libertadores. Mas em espanhol gana é vitória, e ghana é ter gana, ter apetite para vencer. Se usa muito a redundância da fala: ghana para ter gana, que para nós ficaria melhor ter gana para ganhar. O espanhol Ramirez nem precisa traduzir. Mas elogiou o time ao dizer que no primeiro tempo estava como havia planejado. Pode ter faltado velocidade na transição da defesa para o ataque, maior intensidade em geral, mas o Inter teve o controle do jogo e solidez defensiva. Um time que costuma marcar gols, tem maiores chances de vencer se for ainda mais sólido na defesa. É o caso do Inter. Melhor golear menos e sofrer menos gols. Lucas Ribeiro e Saravia mudaram o setor defensivo que ainda têm fragilidades.

O diferencial foi o meio-campo equilibrado com Rodrigo Dourado, Edenílson e Taison, a entrega do time para vencer fez diferença. Além de criar ótimas oportunidades de gol com as entradas de Yuri Alberto e Maurício, o Inter apertou os paraguaios, provocou uma expulsão e venceu. Yuri marcou o gol e também acabou sendo expulso. Errou? Sim. Mas a vontade excessiva de ganhar, a raça, muitas vezes provoca este desequilíbrio emocional. Melhor para o Inter que teve baixas, ainda se mostrou em evolução, só que venceu porque lutou mais que nunca por isso.


Sem sofrer gols, com grande defesa de Lomba, Inter venceu a primeira partida fora de casa na Libertadores em 2021. Foto: Ricardo Duarte/SC Internacional

Não foi por a caso, a bola de cabeça do contestado Marcos Guilherme para o gol de Yuri Alberto. Nem mesmo uma defesa salvadora de Marcelo Lomba ou a recuperação da zaga depois de Lucas Ribeiro ser envolvido por Pitta. Taison lançou uma bola açucarada para Yuri que perdeu um gol incrível. Só que como capitão também se impôs aos adversários na hora do empurra-empurra, do deixa disso. É Libertadores! Moisés foi destaque. Praxedes, Mauricio e Yuri Alberto melhoraram o Inter até mesmo sem Edenílson. O Inter teve gana e, finalmente, ganhou fora de casa.

Agora é Gre-Nal

A pressão continua. O próximo desafio é tirar a vantagem do Grêmio na Arena na decisão do Gauchão. Se contra o Olímpia era jogo de classificação, o Gre-Nal vale o título. E na decisão o Inter não conta com Taison. Sem o peso de uma eliminação precoce na Libertadores, terá que se superar novamente, afinal o Grêmio abriu uma vantagem consistente. O tricolor joga em casa, poupou os titulares e goleou de novo o Arágua pela sul-americana. O time de Tiago Nunes tem uma sequencia de oito vitórias consecutivas, igualando a melhor marca de Renato Portaluppi, joga pelo empate e é o favorito. Mas o favorito não entra em campo nem basta só vontade para vencer. Bah, que jogaço teremos!

Posts recentes

Ver tudo