Inter de Medina se atrapalha na largada do Gauchão

Taison melhorou e fez gol quando abriu pelo lado esquerdo de ataque. Foto Ricardo Duarte/SC Internacional

O Internacional empatou por 1 a 1 com o Novo Hamburgo no Beira-Rio e está na quarta colocação do Campeonato Gaúcho. Não vence há três jogos, pois já havia perdido para o Ypiranga em Erechim por 3 a 1 e empatou sem gols com São Luiz em Ijuí. O time não apenas colhe maus resultados nas últimas rodadas, mas o desempenho é ruim. Não há pelo menos uma evolução coletiva em comparação ao Inter que se despediu em baixa do Brasileiro de 2021, quando ficou uma desconfiança com relação a temporada de 22. A torcida insatisfeita vaiou os laterais Heitor e Moisés e o time todo no final.

A justificativa de Alexander Medina de que a temporada está só começando não cola. Primeiro, porque após quatro jogos o uruguaio poderia ter corrigido alguns problemas e evitar de repetir o que não deu certo. Só que ele não fez nada disso. Começou o jogo com um meio-campo lento com Rodrigo Dourado, Liziero e Edenílson, Taison mais à frente. Três volantes e um meia que é atacante. Na frente, David pela esquerda e Wesley centralizado. Manteve Heitor, que de novo não foi bem, mas Mercado sentiu antes de começar o jogo. A movimentação foi a mesma do ano passado, lento para sair, ligações diretas e curto-circuito no meio-campo.


A ideia de colocar Boschilia no lugar de Liziero corrigiu a falta de criatividade no meio. Só que aí o Novo Hamburgo abriu o placar com Michel Renner, numa transição rápida da defesa ao ataque que não acontece no Inter. Logo, Taison, deslocado pela esquerda, apareceu mais até acertar um belo chute de fora da área e empatar o jogo. Mas já era metade do segundo tempo e o Novo Hamburgo se fechou até o final. Mauricio entrou na vaga de Heitor e o Inter se atirou para o ataque com Caio Vidal no lugar de David.


Medina ainda colocou D'alessandro faltando poucos minutos do final e tirou Edenilson. Bagunçado e atrapalhado, não teve forças para virar. Wesley recebeu bolas de costas para o gol, apertado, fez pouco. No máximo, fez uma boa tabela com Edenilson no início do jogo. Tem muita coisa para melhorar. No momento, o Inter corre o risco de ficar de fora das finais do Gauchão ou em desvantagem e a perspectiva para o restante do ano é preocupante. O próximo jogo é contra o Caxias, sábado (12/02), às 16h30, na Serra. O Caxias está na frente do Inter em terceiro lugar com a mesma pontuação com 8 pontos e melhor saldo mesmo após empatar com o lanterna Guarany de Bagé.