Mais dois Brasileiros chegam à elite do circuito mundial


Samuel Pupo com o troféu da sua primeira final no Havaí.
Samuel Pupo com o troféu da sua primeira final no Havaí (Foto: WSL/Brent Bielmann)

HALEIWA BEACH, Oahu, Havaí / EUA - O Brasil ganhou mais dois surfistas na tempestade - Brazilian Storm - que inundou o circuito mundial com vários talentos e três campeões mundiais: Gabriel Medina (três vezes), Adriano de Souza e Ítalo Ferreira. São eles: Samuel Pupo (Samuca) e João Chianca (Chumbinho), ambos com 21 anos de idade, que vão reforçar a “seleção brasileira” no World Surf League Championship Tour de 2022. O Brasil terá um total de 10 surfistas no WSL-22 , 9 na categoria masculina e uma no feminino.

Chumbinho teve a sua vaga garantida na primeira bateria do domingo de altas ondas de 8-10 pés em Haleiwa Beach. “Estou muito feliz por estar classificado pro CT de 2022 e agradeço muito a torcida de todos”, , que quase não conseguiu assistir essa bateria de tanta ansiedade. Foi um ano muito longo, ao mesmo tempo muito corrido. Muitas coisas aconteceram, mas a gente conseguiu a tão esperada vaga aqui nesse lugar maravilhoso. Sei que todos vocês estavam botando grande fé em mim e obrigado pela torcida, obrigado a WSL, obrigado a todos”, disse João Chianca.

Chumbinho rasgando a direita em Haleiwa Beach, onde garantiu vaga na elite da WSL 22

Samuca confirmou a sua vaga com a classificação para as semifinais. Ele ainda chegou na final e festejou no pódio, com três tops da elite que vai enfrentar no ano que vem. “Foi um longo caminho para chegar aqui. Apesar de ser novo ainda, estou competindo no QS desde os 15 anos, então foi bastante tempo para me qualificar e estou muito feliz agora”, disse Samuel, que vai competir no CT 2022 junto com o irmão, Miguel Pupo. Eles são filhos do surfista que fez uma brilhante carreira no Circuito Brasileiro Profissional, Wagner Pupo. Toda a família mora na mesma Praia de Maresias do tricampeão mundial Gabriel Medina.

De Portugal, o seu irmão mais velho, o campeão mundial de ondas gigantes, Lucas “Chumbo” Chianca, comemorou a classificação de Chumbinho. “Que momento é esse que a gente está vivendo! Era um sonho da nossa família. A gente sempre falou disso, desde criança, mas acabei indo pro lado das ondas grandes e meu irmão agora está no CT. Estou aqui em Nazaré e estava torcendo muito por ele. Infelizmente, ele perdeu, mas se classificou e estou muito feliz. Nossa família deve estar celebrando muito no Brasil e o João está de parabéns. Teve uma atuação incrível esse ano, com um surfe muito sólido e ele é minha maior aposta no Tour agora”.

O bicampeão mundial John John Florence venceu o Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Challenger com a única nota 10 do evento. O australiano Jack Robinson ficou em segundo, o japonês Kanoa Igarashi em terceiro e Samuel Pupo com um honroso quarto lugar no Havaí.


A SELEÇÃO BRASILEIRA FICOU ASSIM:

Com a entrada dos dois, o Brasil manteve a maioria entre os top-34 do CT com nove surfistas, contra oito da Austrália. A seleção brasileira que vai disputar o título mundial de 2022, será formada pelo tricampeão Gabriel Medina, o vice-campeão Filipe Toledo, o primeiro medalhista de ouro da história do surfe nas Olimpíadas, Italo Ferreira, Yago Dora, Deivid Silva, Jadson André, os irmãos Miguel Pupo e Samuel Pupo e João Chianca. Na categoria feminina, a única brasileira é a vice-campeã mundial de 2021, Tatiana Weston-Webb.