Roger sim, Roger não. O Dilema Colorado.

Pelo sim, pelo não: Roger Machado pode ser o novo técnico do Internacional.

Sabe aquela escolha feita por pétalas de uma flor, bem-me-quer, malmequer? É assim que o Inter está à escolha do novo técnico. Uma clara demonstração de que sim, o Inter é confuso para decidir. Não, a direção colorada não sabe o que quer. Até consegue esperar pelo sim e pelo não de Diego Aguirre na seleção uruguaia, embora já esteja discutindo quem seria seu substituto. Roger é o nome mais cotado mas tem gente na direção que diz sim, outros que dizem não.

O comportamento do time reflete o da direção. Falta convicção. Não é toa que o Inter, sim, foi apontado como candidato a uma vaga para Libertadores em 2021. Não caiu, mas também não garantiu vaga para a pré-Libertadores. Sim, o Inter ganhou o Gre-Nal que rebaixou o Grêmio e está na Sul-americana. Não, o Inter perdeu até o modesto Gauchão para o mesmo Grêmio. Sim, Eduardo Coudet é a solução. Não é o Abel Braga, mas o Miguel Angel Ramirez. Sim, o melhor é o Aguirre. Não, não é mais.

Roger, sim, é um ótimo nome com conhecimento de futebol e capaz de montar uma equipe competitiva com um jogo propositivo. Não interfere em nada ele ter sido um jogador identificado com o Grêmio. Sim, Roger Machado muitas vezes não acaba o que começa bem. Não é bom, porém, esperar que um outro estrangeiro se adapte ao Beira-Rio como alguns indicam para que Sebastián Beccacece, do Defensa y Justicia, seja o indicado. Roger sim, Roger não. O dilema Colorado. Inter sim, Inter não. Até quando?