top of page

DNA DE COUDET IMPACTA O INTER, MAS FALTA MUITA COISA PARA ENCARAR O RIVER

Enner Valencia parado pela defesa do Bragantino. Foto: Ricardo Duarte/Internacional

O confronto entre Red Bull Bragantino e Internacional foi marcado pela tão esperada reestreia de Eduardo Coudet como treinador do time colorado. Enquanto as duas equipes se empenharam ao máximo, o gol simplesmente não saiu, e a partida terminou em um empate sem gols. Embora o Inter tenha completado quatro jogos sem marcar gols, o resultado contra uma das equipes mais equilibradas do Brasil, comandada pelo técnico português Pedro Caixinha, pode ser considerado aceitável. Foram tantas situações perdidas pelas duas equipes que qualquer uma poderia ter vencido ou até mesmo se estabelecido um empate com gols. Mérito também dos goleiros.


Chegada de Coudet e Mudança na Intensidade


Com um novo treinador no comando, as expectativas eram altas, mas os torcedores do Inter precisam entender os desafios que acompanham uma estreia. Ainda assim, o time mostrou uma entrega e intensidade diferentes dos jogos anteriores sob o comando de Mano Menezes. A pressão sobre a saída de bola do adversário foi maior, demonstrando uma nova mentalidade implementada por Coudet.


Empate com Pontos Positivos


Apesar de não conseguir balançar as redes, o empate com o Bragantino, um time organizado, foi até um alívio. Além disso, a partida marcou a estreia de jogadores como o goleiro Rochet e o aproveitamento do zagueiro Nico Hernandez, trazendo novidades para a escalação do time. Ruim foi abrir mão do garoto Rômulo, um dos mais regulares. Mesmo que Johnny tenha entendido o recado de Coudet e jogou bem, o jovem volante pelo menos poderia ter entrado no jogo.


Opções Táticas para Coudet


A mudança de posicionamento de Alan Patrick, atuando mais adiantado, proporcionou situações de gol, porém, também resultou na perda de criatividade no meio-campo. Nico Hernandez não teve um bom desempenho, abrindo caminho natural para a volta de Vitão à zaga. Pode esperar outra chance porque esta não aproveitou. Wanderson e De Pena mostraram grande entrega, mas a produtividade ainda deixou espaço para o retorno de Pedro Henrique e Mauricio no time, mesmo que Luiz Adriano seja aproveitado depois de ser liberado pela perda da mãe dele.


Próximo Desafio: Duelo contra o River Plate na Libertadores


Com a estreia de Coudet concluída, o Internacional tem agora pela frente um confronto difícil contra o River Plate na Libertadores. Inicia-se uma fase eliminatória, onde cada erro pode ser fatal. O técnico argentino terá muito trabalho pela frente para aprimorar a intensidade da equipe e precisa buscar uma maior velocidade no jogo. O Inter é um time lento com a bola, na troca de passes, transição. recomposição. Coudet deu uma acelerada no time.


Enner Valencia, apesar de ter tido boas chances e ter mostrado um futebol melhor, precisa balançar as redes. Três jogos sem marcar não é uma situação desejável para um atacante da sua qualidade, enfim, de Copa do Mundo e que há pouco se destacava na Turquia.


Antes de encarar o River Plate, o Inter terá que enfrentar o Cuiabá pelo Brasileirão, o que será uma oportunidade para a equipe de Coudet mostrar a evolução após sua estreia. A torcida está ansiosa para ver como o time se comportará diante de um adversário tão forte na Libertadores, e a esperança é de um desempenho consistente e uma possível vitória para encaminhar a classificação na competição continental. Melhorou. mas falta muita coisa para o Inter estar pronto.

Commentaires


bottom of page