Sylvinho cai após derrota de virada do Corinthians para o Santos

Caiu: Sylvinho não é mais técnico do Corithians depois de perder o clássico para o Santos

Era uma questão de tempo. Foi mais rápido do que se esperava. Após a derrota de virada por 2 a1 para o Santos, na Neo Química Arena, o técnico Sylvinho caiu na virada da quarta (02/02) para quinta (03/02) na terceira rodada do Paulistão. Ainda falava sobre este risco aqui no blog e que o caso de Sylvinho era mais grave do que as situações do Carille, no Santos, que agora ganhou um fôlego com vitória no clássico, e de Rogério Ceni que também é questionado no São Paulo. Mas a pressão sobre o ex-técnico do Timão era muito maior tanto que a torcida já anunciava um grande protesto no CT e pedia em coro até de forma ofensiva a saída do treinador.

O episódio é um atestado da incompetência da direção de futebol do Corinthians que decidiu agora ceder às pressões. Poderia ter trocado o técnico antes ao final da temporada passada, quando ele já era questionado por não ter um desempenho melhor com as contratações feitas como Willian, Roger Guedes e Renato Augusto e, agora, com Paulinho. Daria tempo de planejar com outro profissional.

Sylvinho se apegava a um esquema de jogo, quando entendo que deveria encaixar os melhores jogadores nem que fosse necessário mudar o sistema. Não sei existia algum componente no ambiente dos jogadores que já começava a dar sinais de que ele perdera comando. O problema é que o aproveitamento de Sylvinho era de 48% com média de gols marcados abaixo de um por partida.

O Corinthians não fazia mal jogo e vencia com um gol de Jô, que recém havia entrado no lugar de Mantuan. Até que sofreu a virada, com a troca de Gabriel Pereira por Gustavo Mosquito. Um minuto depois, Marcos Leonardo empatou numa bela jogada individual e cinco minutos após, sofreu pênalti que ele mesmo converteu para virar o placar. O elenco do Corinthians está hoje um degrau abaixo de Palmeiras, Flamengo e Atlético-MG. Se diretoria apostava numa temporada com o técnico, que seguisse com ele sem dar ouvidos a torcida e mantivesse a convicção. Mas não existe convicção. Agora, vai ter que procurar um novo profissional às pressas para planejar a temporada que tem Libertadores no horizonte nebuloso do Timão. Sylvinho estava mal, a direção bem pior.